Contact Centers

Um terço dos trabalhadores de contact centers possui formação superior

Um terço dos trabalhadores de contact centers possui formação superior

Em 2017, mais de um terço dos trabalhadores de contact centers possuía formação ao nível do ensino superior, um crescimento face a 2016 (32% vs 37%). A conclusão consta do mais recente ‘Estudo de Caracterização e Benchmarking’ do setor da Associação Portuguesa de Contact Centers (APCC) e revela que a grande maioria dos trabalhadores do setor (57%) possui formação ao nível do ensino secundário.

O documento indica também que cerca de 50% dos colaboradores de contact centers trabalha em regime de contrato a termo, 32% têm contrato sem termo e 5% encontra-se em situação de trabalho temporário. No que diz respeito aos salários, o estudo mostra que em 2017, o valor médio dos ordenados dos operadores de contact centers era de 769 euros e que o ordenado bruto médio mensal dos supervisores era de 971 euros.

A Associação Portuguesa de Contact Centers revela ainda que, de acordo com os inquiridos, são necessários, em média, 33 dias para formar um novo colaborador para trabalhar de forma autónoma num contact center. Em 2017, o número médio de horas de formação por operador foi de 162 horas.