Tecnologia

Não vale a pena investir fortunas em publicidade: medidas biométricas “são o futuro”

Não vale a pena investir fortunas em publicidade: medidas biométricas “são o futuro”

As empresas poderão estar a investir em publicidade e em marketing em vão. Quem o diz é Luiz Moutinho, investigador na área da neurociência aplicada ao marketing, que em entrevista ao Dinheiro Vivo sublinha que o que os consumidores mais querem são relações “mais reais e honestas”.

Para o investigador da Universidade de Glasgow, na Escócia, as ferramentas tradicionais do marketing, como o CRM, serão a curto prazo substituídas pela análise das respostas fisiológicas dos consumidores aos estímulos. De acordo com Luiz Moutinho, as medidas biométricas “são o futuro”, assim como a utilização da neurociência nas campanhas publicitárias.

“Mas qual lealdade, qual relação com as marcas? Isso só existe nas cabeças dos homens e mulheres do marketing, e que depois fazem slogans do tipo ‘A água do amor’, ‘O sorriso na hotelaria’… É uma vergonha, são todos iguais. O que interessa é se cumpre o que promete”, defende.

Para além disso, o especialista defende que as marcas podem estar a gastar fortunas com campanhas de publicidade e marketing que não chegam ao consumidor. “Num jantar que tive com as empresas [portuguesas] disse-lhes para esquecerem o marketing. Não vale a pena. Em vez de gastarem uma fortuna numa nova campanha de publicidade, melhorem o produto, melhorem a relação com os clientes”, revela na entrevista ao Dinheiro Vivo.

Luiz Moutinho remata ainda referindo que é essencial existir “honestidade, equilíbrio e transparência” na relação com os consumidores. “Os bots e a tecnologia dos sistemas ativados por voz vão ser intermediários importantíssimos para as direções de marketing. Porque se eu falo como o meu Alexa, o meu bot ou o meu assistente virtual inteligente, que sabe o que eu quero e vai à procura [na internet], para que é que eu preciso da publicidade ou do marketing?”

O investigador deixa ainda uma crítica às marcas e aos seus posicionamentos e estratégias na internet: “social media é para comunicar entre seres humanos. Uma marca não é sua prima. O objetivo é sempre o mesmo, é entrar na sua vida, [veja] como sou muito bom, quero ser seu amigo, faça like… As pessoas já não toleram nada disso.”