Contact Centers

Contratos sem termo nos contact centers aumentam para 49%

Contratos sem termo nos contact centers aumentam para 49%

Os contratos sem termo nos contact centers registaram um aumento de 32% em 2017 para 49% em 2018. Esta é a principal conclusão do ‘Estudo de Caracterização e Benchmarking da Atividade dos Contact Centers’ em Portugal, apresentado pela Associação Portuguesa de Contact Centers (APCC).

De acordo com o estudo, atualmente, os contratos a termo situam-se nos 41% e a utilização de trabalho temporário ou a recibos verdes é de 7% e 3%, respetivamente.  Por outro lado, em 2018, o valor médio dos salários dos operadores de contact center subiu 3,5% face a 2017, tendo passado de 769 euros para 796 euros. Os setores em que se verificaram as remunerações médias mais elevadas foram os bancos, com 912 euros, as telecomunicações, com 845 euros, e a assistência em viagem, com 830 euros. Já os valores médios mais baixos registaram-se na saúde, com 612 euros, correios e distribuição expresso, com 700 euros, e utilities, com 708 euros.

Por outro lado, o salário médio dos supervisores de contact center registou uma subida, entre 2017 e 2018, de 971 euros para 1045 euros, um acréscimo de 7,7%. Os setores onde se verificaram médias mais elevadas foram os bancos (1163 euros), assistência em viagem (1130) e o comércio (1055). Já os ordenados mais baixos verificaram-se na saúde (697 euros), utilities (860 euros) e turismo (990 euros).